Cromatógrafo de Processo Mod. NovaCHROM - AGC

Gostou? compartilhe!

O cromatógrafo NovaCHROM apresenta otimos resultados em análise de impurezas em uma ampla gama de aplicações de gás. O cromatógrafo utiliza as últimas tecnologias avançadas para oferecer aos nossos clientes os resultados precisos.

O NovaCHROM utiliza detectores específico para cada aplicação. Tela interativa sensível ao toque e interface fácil de operar.

O cromatógrafo NovaCHROM está equipado com componentes de cromatografia específicos para a aplicação. Outros materiais, tais como o Teflon ou Hastelloy podem ser utilizados, conforme necessidade.

Possibilidade de diversos fornos para as colunas cromatógraficas e com controladores de temperaturas individuais resultam em uma estabilidade excepcional, sensibilidade, precisão e repetibilidade. Sistema de Controle de Pressão Eletrônico (EPC) para o gás de arraste.

O consumo otimizado de gases cromatógrafo de processo NovaCHROM fornece uma plataforma econômica com um baixo custo .

As colunas cromatógraficas podem ser regeneradas in-situ sem problemas.

Os diagnósticos integrados e sistemas de alarmes configuráveis identificam as áreas que requerem atenção para permitir a rápida identificação e resolução de eventuais problemas no processo.

Válvulas cromatográficas (Vici Valco® Rotary Valves).

Multi linhas de amostragem.

Análise de %, ppm ou ppb disponíveis.

Manutenção fácil para operar e econômica.

Material resistente a corrosão (opcional).

DETECTORES DISPONÍVEIS CONFORME APLICAÇÃO

Detector por ionização por descarga- DID
Detector por Argônio descarga - PLASMA ADD
Detector de ionização de chama- FID
Detector de condutividade térmica – TCD
Detector por fotômetro de chama- FPD
Detector de foto ionização – PID

DETECTOR POR INONIZAÇÃO POR DESCARGA DID

Os cromatógrafos da AGC tem a tecnologia para fornecimento de detector DID (Discharge Ionisation Detector) ionização por descarga que apresenta uma excelente estabilidade e desempenho analítico. Limite de detecção menor que 1 ppb.

Este detector gera fótons de alta energia através de uma descarga elétrica em alta pureza Hélio. O metaestável Hélio então ioniza todos os componentes exceto Hélio.

A resposta do detector é muito sensível principalmente nas análises de impurezas de componentes dos gases ultra puros.

DETECTOR POR ARGÔNIO DESCARGA PLASMA ADD

Aplicação principal deste detector é para a análise de impurezas em Argônio a níveis de ppb. Um campo eletromagnético de alta energia, através da qual passa o gás de arraste (Argônio), produz um efeito ionizante. Este processo transforma o gás para um estado de plasma com emissão de fotões de luz. A medida que o componente da amostra é eluído a partir da coluna, a intensidade de luz é alterado e esta emissão de luz é monitorizada por um foto-diodo. O cromatógrafo pode detectar vestígios de O2 em Argônio em paralelo com outras impurezas sem o uso de um medidor adicional para o O2. Além disso, os resultados quantitativos precisos são suportados pela função de linearização fornecida por TrendVision PLUS.

DETECTOR POR IONIZAÇÃO DE CHAMA FID

O detector de ionização pela chama (FID) constitui o tipo mais usado de detector, devido à sua alta sensibilidade. Neste tipo de detector existe uma pequena chama de hidrogênio em presença de um excesso de ar e rodeado por um campo elétrico. O efluente da coluna penetra na base da chama, e é misturado com o hidrogênio. Os compostos orgânicos eluidos da coluna são, assim, submetidos à combustão, durante a qual se formam fragmentos iônicos e elétron livre. Estes são recolhidos pelo eletrodo formando uma corrente elétrica proporcional à concentração dos componentes da amostra (corrente na ordem de 10-12 A).

DETECTOR POR CONDUTIVIDADE TÉRMICA TCD

Os detectores de condutividade térmica baseiam o seu funcionamento no conhecido princípio de que um corpo quente perde o calor. A perda de calor pode ser usada, consequentemente, como uma medida da composição do gás. Nos detectores por condutividade térmica, geralmente o corpo quente é um filamento de um metal (Pt, Ni, etc.) encerrado dentro de bloco metálico. O gás a ser analisado passa através do filamento, o qual é aquecido por uma corrente elétrica constante. O filamento aquecido perder calor devido principalmente à condutividade térmica do gás em contato com o filamento. O calor é transferido para as moléculas do gás alterando a resistência do filamento devido o resfriamento.

Os filamentos fazem parte de uma ponte de Wheatstone, onde o desequilíbrio é medido na parte eletrônica do sistema.

DETECTOR POR FOTÔMETRO DE CHAMA FPD

A AGC utiliza detector de duplo chama fotométrica (FPD), que é projetada para dar uma resposta seletiva para compostos de enxofre ou fósforo.

Quando uma energia de excitação é aplicada nos átomos de um elemento, um espectro de emissão fotométrico é obtida e cujo comprimento de onda é uma característica do elemento.

A intensidade da luz emitida é proporcional ao número de átomos excitados. Dentro do detector fotométrico de chama, a energia de excitação é derivada da zona de combustão dupla da amostra, e da chama de hidrogénio. Esta tecnologia de dupla chama elimina a conhecida-interferência cruzada causada pelo gás matriz. Além disso, os resultados quantitativos precisos são suportados pela função de linearização fornecida pela Trend Vision Plus.

 

APLICAÇÕES PRINCIPAIS
Indústrias fornecedoras de gases (Praxair, Linde, Air Product, Air Liquide, etc)
Indústrias de fertilizantes
Indústrias químicas
Indústrias petroquímicas
Refinarias de petróleo
Indústrias de papel e celulose
Siderúrgicas
e outros...